terça-feira, outubro 23, 2007

1027 - vivò hábit(r)o

O hábito que alguns comentadores têm de favorecer a Instituição, quase centenária, está tão enraízado que dão-se ao luxo de escrever isto: «(...) porque as faltas são agora punidas no local onde terminam».
A ser verdade, «frangos» como aquele que Tiago acabou de dar (em Roma) deixarão de existir, pois, o crime passa a compensar.
Seguindo as regras de Cruz dos Santos [CdS] na marcação do pontapé de canto os jogadores que defendem posicionam-se dentro da área, procuram agarrar a bola e correm, velozmente, em direcção à baliza contrária, os jogadores da equipa adversária tentam obrigá-lo a largar a bola, no sítio onde a largar é marcada falta, pois, segundo CdS: as faltas são agora punidas no local onde terminam.
Pedro Oliveira com a colaboração, inestimável, de CdS acaba de preconizar uma nova maneira de jogar futebol, uma espécie de futrugbol (futebol+rugby).

4 Comments:

Anonymous manuel marques said...

Defendendo uma grande penalidade ,jà se redimiu, penso eu de que.

terça-feira, outubro 23, 2007 9:10:00 da tarde  
Blogger pedro oliveira said...

Pensa o camarada muito bem, obviamente.
O Sporting unido jamais será vencido.
(s'os gajos perdem esta mer** fico danado, estão a dar um «banho de bola», g'andes putos, g'ande treinador)

terça-feira, outubro 23, 2007 9:21:00 da tarde  
Blogger pedro oliveira said...

No comentário anterior, disse: fico danado.
Não fico nada, jogámos melhor, fomos prejudicados pelo árbitro, os dois golos romanos foram fantásticos, o golo do clube de Portugal foi excelente.
Tudo normal.
Para o Sporting ganhar não necessita de ser igual, nem de ser melhor, necessita de ser muito melhor.
ESFORÇO a mais importante de quatro palavras.

terça-feira, outubro 23, 2007 9:51:00 da tarde  
Blogger Rosa said...

Passei por aqui.
Da conversa sobre frangos e faltas, entre dois homens, não compreendi rien de rien.

quarta-feira, outubro 24, 2007 9:23:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio