quarta-feira, fevereiro 21, 2007

625 - coerência

Cada vez mais me convenço, que o Senhor não é o Zé Pedro da Portela, roubou-lhe a identidade e faz-se passar por ele, pois as últimas afirmações, convicções e apelos deixam-me muito confuso.
Por favor devolvam o Zé Pedro
Nem sempre o que parece é.
O mundo não é a preto e branco.
Sou este.
Sou-o sem ligações a partidos, isso permite-me tal como Janus olhar em duas direcções... o passado, também o futuro.

(sublinhar/seleccionar com o rato entre a imagem e o início do texto)



3 Comments:

Anonymous @ said...

caro pedro, surpreende-me, a forma como responde a certos comentários. bem, o comentário ao qual se reporta este post deve ter (as iludências aparudem) algum sentido que me escapa…também não me interessa nada. mas já que ilustra, as suas palavras, com janus e, por consequência, fala do passado e do futuro, que mal lhe pergunte: como é que se pode construir o futuro sem os pés assentes no presente? Ou então, não percebi porra nenhuma do post…

quarta-feira, fevereiro 21, 2007 8:52:00 da tarde  
Anonymous manuel marques said...

Coerência ,è a continuidade do sentido das palavras e não a dedução das mesmas.
Ser leal para consigo mesmo,è a única maneira de ter lealdade para com os outros.
Quem duvida não pode conhecer a verdade.
Và em frente camarada.

quarta-feira, fevereiro 21, 2007 9:17:00 da tarde  
Blogger crt said...

Este post pretende ser uma resposta a um comentário?

Qual? Não entendi...

Por vezes, o mundo é, a contra gosto de muitos, cinzento!! :-)

(Eu gosto de anónimos, facultam-me o direito de exercitar a indiferença.)

quarta-feira, fevereiro 21, 2007 9:42:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio