terça-feira, outubro 23, 2007

1028 - uma raiva a crescer-me nos dentes




Estamos em 2007, Outubro, 23 [22H00].
Bolas.
Não há ninguém que diga a um menino negro chamado: Celsinho... que não se carrega o número oitenta e oito [quatro bolas sobrepostas, são bolas a mais] às costas, não há ninguém que lhe diga que Sporting é sinónimo de inclusão e não de totalitarismo?
links:



3 Comments:

Blogger Rosa said...

Isto é um post sobre o quê?
Relógios?

quarta-feira, outubro 24, 2007 9:19:00 da manhã  
Blogger Rosa said...

Pedrito (não é o de Portugal, o do Santamargarida)
já percebi este teu post sobre a raiva.
eh eh eh eh

quarta-feira, outubro 24, 2007 9:47:00 da manhã  
Anonymous manuel marques said...

Com fúria e raiva.

Com fúria e raiva acuso o demagogo
E o seu capitalismo de palavras
Pois é preciso saber que a palavra é sagrada
Que de longe muito longe um povo a trouxe
E nela pôs sua alma confiada
De longe muito longe desde de inicío
O homem soube de si pela palavra
E nomeou a pedra a flor a água
E tudo emergiu porque ele disse
Com fúria e raiva acuso o demagogo
Que se promove à sombra da palavra
E da palavra faz poder e jogo
E transforma as palavras em moeda
como se fez com trigo e com a terra.

Sophia de Mello Breyner.

quarta-feira, outubro 24, 2007 8:48:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio