terça-feira, janeiro 26, 2010

37/2010 - há sempre um caminho

Às vezes adormecemos gelados e tristes.
Gosto de pensar que cada lágrima chorada é, apenas, mais uma gota que cai na terra vai para o céu e voltará à terra em forma de chuva fertilizadora.
Gosto de pensar que nós podemos ser plantas improváveis que crescemos onde não é suposto mas temos sempre opções.
A opção de ficar, a opção de espreitar o mundo sem estarmos enclausurados no rectângulo onde sempre vivemos.
A palavra chave, key wor(l)d, a chave do mundo é: viver.
Viver nos caminhos verdes duma clorofila a que chamamos esperança.

1 Comments:

Blogger Rosa Oliveira said...

percebesse eu de futebol, chegava aqui e diria:

Camarada, o caminho é o da serenidade até à vitória
e tal

mas não entendo nada de futebóis... olhe, a foto está muito bem «apanhada»

terça-feira, janeiro 26, 2010 6:15:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio