segunda-feira, março 08, 2010

88/2010 - a mala, quem me dera, a mala



breve ensaio fotográfico, vermelho, ocre e paint

3 Comments:

Blogger Rosa Oliveira said...

Este comentário foi removido pelo autor.

terça-feira, março 09, 2010 11:23:00 da tarde  
Blogger pedro oliveira said...

Cara comentadora,

A mosca morta é a sua imaginação, não existe.
A fotografia da esfera armilar é óbvia, qualquer pessoa com uma máquina fotográfica obtem uma igual, é uma fotografia técnica.
A fotografia da mala aberta é «observativa», intuitiva, carnal.
Um fotógrafo reproduz imagens, pensamentos.
Aquela imagem é, apenas, a imagem duma velha mala (sem mosca, a mosca é uma sombra) junto a um caixote do lixo).
Um fotógrafo às vezes é um infante atirador especial; foca, imagina processa, dispara, obtem.
A verdadeira fotografia (a verdadeira arte) é a que imaginamos na nossa mente.
A arte... mente.

quarta-feira, março 10, 2010 10:28:00 da tarde  
Blogger rosa oliveira said...

Este comentário foi removido pelo autor.

quarta-feira, março 10, 2010 11:33:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio