domingo, setembro 19, 2010

370/2010 - o filho de libânia augusta e antónio maria

Quando olhamos os velhos achamos que já nasceram assim.
No dia 6 de Abril de 1837, Alfredo era, apenas, mais um escalibatano a chorar, Libânia mais uma mulher com dores.
Alfredo cresceu forte e saudável entre a lezíria e a charneca e tornou-se um homem empreendor e livre.
Em 1884 funda na vila de Abrantes, o «Jornal de Abrantes», o primeiro baluarte da imprensa livre no atual distrito de Santarém (já existiam jornais em Santarém e Tomar mas de cariz, marcadamente, político-partidário).
Leiamos algumas palavras publicadas no «Abrantes» em 15 de Março de 1884:
(...) entendemos, que quem maneja uma penna, escreve um jornal, tem uma opinião e a não expõe corajosamente no concurso das idéas, que surgem em torno d'um problema, é um escriptor, que póde ter talento, mas que não tem dignidade. Nós que não temos a autoridade do talento, faremos por conservar o prestigio da dignidade, por isso havemos de ser francos e corajosos.
Alfredo Augusto das Neves Holtreman, visconde de Alvalade, a partir de 1898, um homem digno, corajoso e franco... um velho, um homem a quem a imprensa livre muito deve.
escrito, exceto a citação na ortografia atual

1 Comments:

Blogger Rosa Oliveira said...

Um «aparte» à essência do texto...

Não esperava encontrar aqui um texto (escrito por si) seguindo regras (leia-se: aberrações) que ferem a identidade portuguesa. Será, também, um defensor do designado Acordo Ortográfico com fundamento em princípios pedagógicos - vamos lá malta, uniformizar, a ver se acabamos com os analfabetos [ótimo pá/legau !]- e de aproximação de culturas?
Esta cousa do tal Acordo sugere-me que, para acabar com o designado insucesso escolar se fechem todas as escolas: sem escolas não existirá insucesso.
Mas isto sou eu que não acredito em aproximações e intercâmbios culturais, por via da abolição de consoantes mudas - dizem -, acentos e hífens... como se podem unificar culturas que divergem em questões essenciais de escrita e fala?...Ou melhor: faz sentido a uniformização?
(Hiper-discutido...)
Prontesssssssssss
já manifestei a surpresa.

quinta-feira, setembro 23, 2010 9:25:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio