quarta-feira, novembro 24, 2010

425/2010 - um poeta a metro

Hoje não houve nem rimas nem Metro (devido à greve)
não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio