sábado, abril 10, 2010

123/2010 - golo segundo são lucas


A moldura destas imagens lembra-nos a noite negra de Liverpool.
O título remete-nos para o poder da palavra, no princípio era o verbo...
O título remete-nos, também, para uma certa forma de evangelizar, evangelho segundo São Lucas, foi de Lucas o segundo golo.
Lucas Pezzini, é um menino brasileiro de 23 anos, nascido em Dourados e foi do seu dourado pezzini direito que saíria, de trivela, a bola de fogo que crucificaria Jesus.
Jesus maravilhado com o que via, como que dizendo, dois é pouco, quatro é melhor.
Quatro foram.
Os fabulosos quatro de Liverpool, quando a bola se move... something in the way she moves
fontes & alambiques

5 Comments:

Anonymous Luis Varino said...

Cá se fazem, cá se pagam.
O Manuel Machado, se visse este post havia de bater com as mãos na barriga de tanto rir (mas devagar, não vá ter problemas com a lipoaspiração)

Bem visto

sábado, abril 10, 2010 1:03:00 da tarde  
Blogger manuel marques said...

Já li por aí que por vezes cuspir para o ar dá mer**...

Abraço.

sábado, abril 10, 2010 1:36:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

agora que o benfica foi eliminado, so nos resta torcer pelo sporting na liga europa:):) na playstation claro:):)

sábado, abril 10, 2010 2:57:00 da tarde  
Blogger pedro oliveira said...

Ou então «torcer» pelo Sporting em futsal, em juniores, em andebol, etc.
No etc. não incluo o «baskett» (o Sporting não tem «baskett») neste desporto o Benfica está a fazer uma campanha fantástica (sem arrogâncias, sem túneis e sem milagres de Jesus).
Brevemente escreverei sobre a magnífica campanha, conta por vitórias todos os jogos, do basquetebol benfiquista.

sábado, abril 10, 2010 3:09:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Um post para anti-benfiquista se aliviar.
Mas já fizeste melhor.
Este é fácil de responder.
É estranho que consideres um brasileiro “inglês” santo quando os brasileiros “portugueses” são diabos.
A cegueira baralha-te.
Ou será que Lucas se doutorou em Cambridge e é monárquico?
Os quatro de Liverpool nem foram assim tão fabulosos: um esquisito e três de contra-ataque.
Demonstra respeito pelo glorioso.
Os problemas internos do Liverpool e a insegurança de Benitez mandaram às malvas um franco futebol inglês por uma cínica estratégia “a la Mourinho”.
Para quem gosta.
Em relação ao Machado, coitado, como dizem os morcões, falamos de “colossos”, não de “mijas-na-escada”.
E já agora contaste os estrangeiros do Liverpool?
Não interessa, são todos fabulosos, menos os do Benfica, porque acima da honestidade e da seriedade intelectual está o anti-benfiquismo.
E, claro, as provocações para alimentar o blog.
…dasse.

sábado, abril 10, 2010 5:23:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio