quinta-feira, março 27, 2008

1255 - «vida privada não existe numa sala de aula com 30 alunos»

Não gosto da igualdade das casas caiadas de branco, da igualdade cinzento-maoísta, olivo-castrista, da igualdade azul-rolãopretista, não gosto de Revoluções “A Revolução, antes da conquista do Estado, era já um Estado face ao Estado. Tinha uma bandeira, uma orgânica, uma administração e um uniforme: a camisa de combate. Foi assim que por toda a parte surgiram organizações políticas envergando camisas de combate. E tanta diferença ideológica haveria entre uma «camisa azul» portuguesa e uma camisa castanha nazi, como entre uma camisa vermelha comunista e uma camisa verde da Federação Anarquista Ibérica. De comum entre quantos vestiam camisas de combate havia apenas um propósito, o de ocupar o Poder pela acção revolucionária”
Gosto do poder do povo e para o povo, gosto da democracia e de uma sociedade de indivíduos (não um elite de gajos e gajas com cartões partidários que pensam e decidem por nós e um rebanho que lhes faz uma cruz à frente).
Eu, tu, ele/ela, nós/noz, vós/voz, eles/elas.
Cada um de nós não é uma noz, nós somos uma voz que terá de ser ouvida, cada um de nós com direito à nossa privacidade, ao nosso pensamento, às nossas convicções, sujeitos entendidos e não sub-entendidos.
Não o disse ainda, di-lo-ei (di-lo-ei?) agora, aquilo que mais me «chocou» no episódio do telemóvel versus gabardine foi a ausência de liderança, onde estava o/a delegado/a de turma?
Fui-o e sei que numa situação daquelas ter-me-ia (ter-me-ia?) levantado e do alto dos meus 172 centímetros diria:
- Inês, senta-te, eu falo com a s' tora
- S'tora peço desculpa em nome da turma pelo comportamento da Inês mas isto fica entre nós e creia-me ela perceberá que teve um comportamento incorrecto. Eu fico com o telemóvel da Inês e dou-lho lá fora, está bem?
- Claro que está bem, Pedro, és um verdadeiro líder, um dia vais ser dos melhores bloggers de santamargarida...
- Obrigado, s'tora, apenas, fiz a minha obrigação, foi para isto que fui eleito pelos meus colegas.
- Vá meninos, vamos retomar a aula, já perdemos muito tempo....
Faltou ali um Pedro, sobrou ali um/a palerma com um telemóvel filmativo.

9 Comments:

Blogger João B. Pico said...

Por medo e por descrédito na Justiça, a professora só agora intentou 3 acções no Tribunal!
A "vida privada"?!
Existe numa sala de aula com 30 alunos, que "PRIVARAM" a professora de exercer a sua função.
Por sinal tudo girou à volta de mãos frenéticas agarradas a um telemóvel que não valia a contenda.
Por sinal tudo acabou filmado pelo brinquedo de outro aluno.
E aqui, o que me repugna neste espisódio é que a imagem veio dizer que afinal a palavra não existe ou existindo não vale mesmo nada.
Vale mais uma imagem do que mil palavras!
Aliás, a técnica do Sócrates já se baseia nisso!
Um cenário, um slogan e ...
Porreiro , Pá!

sexta-feira, março 28, 2008 7:42:00 da manhã  
Blogger João B. Pico said...

Por medo!

A conquista do poder Caro Pedro Oliveira também se baseia nisso mesmo: no medo!

No medo que se incute ao adversário para que ele desista ou abdique da sua indentidade e siga o "sistema", dócil e complacente e sem ideia nenhuma que fuja à cartilha.
Por medo e por descrer na Justiça, que só a acção do PGR veio "restabelecer" e dizer: presente!
Pelo menos a Justiça instrutória do Ministério Público. Porque não sabemos se este processo ou estes 3 processos inyentados pela professora não irão um dia prescrever ou acabarem na suspensão de pena...
O que é pena!

E como a palavra não vale assim tanto, fico por aqui, apenas com esta observação, pese poder ser desmentido mais uma vez.

Liderança!
Liderança pois claro!
Concordo e muito. Eu gosto de liderança, é um nome feminino ainda por cima. Não sei se há alguma linda mulher com esse nome?!

E a propósito, em que ano é que se estuda a disciplina de Liderança?!
Chumba-se nessa cadeira?!
Eu só pergunto isso, porque sou um " quase irresponsável" desconhecedor do ensino.

sexta-feira, março 28, 2008 7:52:00 da manhã  
Blogger Rosa Oliveira said...

Bonjour!

Ora, eu em busca de interessantes novidades «blogoesféricas» e o meu amigo, envolvido, ainda com o caso do telemóvel (caso do telemóvel?); a Grécia, parece-me, venceu Portugal, um animal matou uma criança de 5 anos, em Espanha e o povo quer justiça nas ruas, a novela «A Outra», com uma fantástica banda sonora na língua de Camões, já vai no 4º ou 5º episódio e o menino, discute a cor das camisas. Está bem, pronto!

Caríssimo, como sabe, a «escola democrática», há-de transformar-se noutro mito das sociedades contemporâneas. Eu acredito, como muitos outros que a procuram fazer, reflexo, talvez, da não assumpção em que me encontro. Quid sapit!...

Inês e Pedro em jogos de poder com a «s'tora». Gostei. Pega na «coisa» pelo lado orgânico, remetendo para a competência auto-oranizativa do líder-delegado-de-turma. Ou então, subrepticiamente,qual demagogo de cabelinhos louros, munido de palavrinhas sedutoras, queria... gamar o telemóvel à Inês.

A sua s'tora, seria uma mulher de visão: melhor «blogger» de santa margarida,(eh eh eh eh) quantos são?....quantos são?....

Onde é que aprendeu a liderar conflitos? Em Psicologia, na mesma altura em que estudou a experiência de Asch? Ou foi em Sociologia? Ou terá sido em Introdução ao Desenvolvimento Económico? Ou quando estudou, em Filosofia, as condicionantes da acção humana, o relativismo cultural e tal?
Humm!... muito provável que o tenha aprendido na equipa dos «Sempre Prontos» e nos passeios campestres com a sua «pasteleira», nos intervalos da cantoria de «Flor da Fragância» em jarreteiras descaídas. Digo eu, sei lá.

Quanto ao cerne da questão, gostava mesmo de saber,como se fazem os tais carrinhos de rolamentos, mas pronto, deixe lá, agora, vou «dissecar» o «link» que fez (obrigada, pela partilha).

sexta-feira, março 28, 2008 11:41:00 da manhã  
Anonymous manuel marques said...

Carro de rolamentos.

Material:

1 tàbua para servir de base com 60x30
Nota esta medida depende do tamanho a quem se destina o carrinho.Senta-te nela(como se o carrinho jà estivesse pronto)e vê se podes conduzir confortàvelmente.Tens que poder esticar as pernas como quando tens de virar.
Se puderes fazer a frente mais estreita,ficas com mais espaço para curvar.

1 ripa com 5 cm de largo x cerca de 3 cm de altura(em mèdia)para servir de eixo da frente.
Deve ter um comprimento de cerca de 60 cm .Se for muito curta,tens dificuldade em fazer as curvas,se for demasiado ,comprida "salta-te" o pè ao curvar.Bom è o meio termo

1 ripa com 5 cm de largo x cerca de 3 cm de altura (em mèdia) para servir de eixo de tràs.
Deve ter um comprimento ligeiramente maior que a largura da tàbua-base.Não precisa ser do tamanho do eixo da frente,mas se for não faz mal.

4 rolamentos de tamanho mèdio.
1 cordel com cerca de 1 m.
Pregos mèdios e grandes + ou - (8) e ou parafusos.
1 parafuso e porca(maior do que a soma das alturas do eixo da frente e da tàbua-base,com alguma folga.
Se levar 4 anilhas melhor.

Ferramentas:
-Serrote
-Grossa
-Martelo
-Berbequim e broca da medida do parafuso.
Chave de parafusos.

Agora mãos à obra:

Corta a tàbua e as ripas à medida.
Disfarça as rebarbas com a grosa.
Na parte de frente da tàbua base,faz um furo com o berbequim,para depois se por o parafuso que vai segurar o eixo.
Faz um furo idêntico a meio do eixo da frente,na superficie com a base mais larga.
Enfia o parafuso nas madeiras que furaste,só para testar se funciona bem.
"Escava" um encaixe para os rolamentos nas pontas dos eixos.Conforme o quanto tenhas de "escavar",usa o serrote e depois a grosa,ou só a grosa.Vai experimentando enfiar o rolamento.Os rolamentos têm que ficar bem "entalados"se ficarem com folga o carro não anda bem.
"Enfia" os rolamentos na ponta dos eixos.Evita bater na periferia dos mesmos.
Para maior segurança e para os rolamentos não saírem,enfia um prego,sem urtrapassar o tamanho dos rolamentos e dobra-lhe as pontas.
Prega(ou aparafusa) o eixo de tràs à parte de tràs da tàbua base,tem de ficar bem preso.
Monta o eixo da frente na tàbua-base.Segue esta ordem(de baixo para cima):parafuso,anilha,eixo,anilha,eixo,anilha,tàbua base,anilha,porca.
Aperta bem a porca,mas o eixo tem que rodar-para isso là estão as anilhas.
Se a ponta do parafuso passar muito para fora e puder ser perigosa,arranja maneira de a proteger,com pano,alcatifa ou cartão colado ou seguro com preguinhas,ou outro sistema que inventes.
Logo a seguir aos rolamentos,amarra o cordel nas duas pontas do eixo da frente.Vai-te ajudar na condução e a seguras-te,não falando no geito que dà para puxar o carrinho.

sexta-feira, março 28, 2008 6:14:00 da tarde  
Blogger Rosa Oliveira said...

O Manuel Marques é um querido.
Obrigada.
Li atentamente, muito grata!...
fiquei, agora sim, cheia de medo. O que será um rolamento e uma grossa? Profundamente grata, mas só falou do material, das ferramentas e das mãos para a obra, diga-me:

- O dono das mãos vem junto?

(Eu só devia ter gerado meninas...
grossa?? anilha??)

sexta-feira, março 28, 2008 7:17:00 da tarde  
Anonymous manuel marques said...

Grosas-Limas para madeira.
Anilhas ringues metàlicos.
Em relação às mãos treine o Cão e ponha o gajo a conduzir essa giringonça.
Obs:não se esqueça de comprar o capacete para o cão.

sexta-feira, março 28, 2008 7:35:00 da tarde  
Blogger Rosa Oliveira said...

(Zeus, vinde em meu auxílio e traz o Olímpo, Bitte!!)

Como é que se trata a ailurofobia?





(Vou é comprar cortinados com carrinhos de rolamentos)

sexta-feira, março 28, 2008 7:41:00 da tarde  
Blogger Rosa Oliveira said...

Obrigada Manuel.


O comentário anterior, fui eu a enviar um fax a Zeus.

sexta-feira, março 28, 2008 7:42:00 da tarde  
Blogger João B. Pico said...

Caro Pedro Oliveira:
A vida privada está mesmo tramada...
Como é que o juiz irá julgar agora aquela acção contra a turma de indiferentes ao sofrimento da professora, se o tal director do Conselho Directivo e todos os professorres no fundo também nada fizeram ao saberem do sucedido?!
Na volta, sai uma 4ª acção contra os professores e a escola e uma 5ª dos pais dos alunos contra o Estado, ao abrigo da novalei da responsabilidade admnistrativa do Estado.
Feitiço contra o feiticeiro, será?!

sexta-feira, março 28, 2008 7:59:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio