quinta-feira, janeiro 07, 2010

16/2010 - um par de homens

Aquilo que me aborrece ou indigna como escrevi, hoje de manhã, é que um colectivo sem legitimidade se prepare para legislar sobre uma questão para a qual não foram mandatados... ninguém depositou confiança neles para fazerem aquilo que se aprestam a efectuar.
O termo que o PSD encontrou para chamar a um mistura de gajos é genial: parceiros.
É isso que dois gajos formam, um par.
Dizemos: um par de sapatos; não dizemos um casal de sapatos, pois não?
Agora imaginemos um gajo que chega a casa cansado, atira com os sapatos, na direcção dos ténis (sapatilhas) chinelos e botas que convivem mais ou menos, anarquicamente, num dos cantos daquela divisão... um dos sapatos (mesmo exausto) fica, energicamente, engatado numa bota; esse gajo (que inventei) poderia encolher os ombros e pensar: deixá-los, parecem um casal. Iguais (dois sapatos) par.
Diferentes (sapato/bota) casal.
Enfim...

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Caro Pedro oliveira:
Não seria muito mais proveitoso (até para o proprio blog) que a referencia a este grande senhor da cultura Constancience e principalmente pelo exemplo de cidadania e de dadiva para com os outros, (onde eu me incluo) que este senhor demontrou ao longo da sua vida, fosse tratado de outra forma.
Danço folclore a quase 30 anos aprendi a dançar o fandango com este homem e aprendi muito com ele, por isso lhe digo que gostaria mais de ter visto um post sobre o grande homem que foi e pelo que fez do que ver este "casamento" ridiculo. (digo eu)
O que Manuel de Oliveira Costa bem como a sua esposa fizeram pela cultura deste concelho mereciam outro tratamento.
Peço desculpa pela franqueza, mas reconheco-lhe capacidade para fazer este tipo de trabalho, bem mais util do que Ronaldos,gatinhos,galinhas etc.. isso sim é que era divulgar constancia e a "sua" SANTAMARGARIDA

João Carlos Barroso

quinta-feira, janeiro 07, 2010 10:44:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

peço desculpa quando referi que tinha conhecido pessoalmente Manuel de oliveira costa, é obvio que nao conheci pessoalmente este senhor mas a convivencia com a sua filha e genro levaram-me a fazer alguma confusao com o seu genro. mas mantenho tudo o que disse sobre este grande homem.
mais uma vez peço desculpa pela confusao mas ja la vao perto de 30 anos.

J.C.B

quinta-feira, janeiro 07, 2010 11:17:00 da tarde  
Blogger pedro oliveira said...

Caro João Carlos,

Tem razão naquilo que afirma e nas sugestões que efectua.
(para quem não leu, o «post» original misturava dois assuntos diferentes, procurando estabelecer uma ligação entre aquela palermice sos sapatos que escrevi acima e um poeta popular, um grande homem, como o João lhe chama com toda a razão... isto porque o senhor referido escreveu poesia sobre o tema/sapatos)
Temos todos a ganhar se a questão for abordado de outra forma.
Parabéns pelos comentários e pela forma atenta e correcta com que o fez.
Quanto ao Sr. Manuel Costa, abordarei, futuramente, o assunto, embora aquilo que saiba sobre o assunto seja o que está publicado no «folheto» que referi.
Cumprimentos

sexta-feira, janeiro 08, 2010 3:42:00 da manhã  
Blogger Rosa Oliveira said...

Misturava assuntos diferentes?
Isto é uma excelente expressão!...
O igual emparelha-se, o diferente mistura-se...
eu que o diga, quando me ponho a dobrar meias.

Pedro, não tire a poesia ao mundo. Sem poesia fede o mundo.

sábado, janeiro 09, 2010 8:15:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio