sábado, julho 10, 2010

293/2010 - parar no peito e rematar palavras

A imprescindibilidade.
Eu, anónimo.
Duas palavras. Pedro . Oliveira.
Exceptuando, Rui Pedro Silva, todos anónimos, uma irmandade de anónimos, comentativos.
No meu caso sou um pseudo-anónimo (em tempos questionaram-me: «és o pedro oliveira anti-mourinho do "blog" do boronha?» respondi: «sou o pedro oliveira que gosta de futebol positivo, com posse de bola, passes, dribles e golos; boronha convidou-me a escrever sobre isso, mourinho gosta de futebol me**oso... eu não»
Retomando...
Uma excelente iniciativa de participação opinativa, sintética, em directo e sem possibilidade de correcção posterior, eu (nós) em directo.
fontes & alambiques (inclui post anterior)

1 Comments:

Blogger manuel marques said...

Neste caso funcionou ao contrário do vinho,as misturas melhoraram a qualidade.

Abraço.

domingo, julho 11, 2010 3:51:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio