sexta-feira, outubro 31, 2008

1748 - jacobin ou jacobino

Para mim pode ser jacobin, tinto.
Bibliografia:

1747 - a cor preferida era a do vinho no copo e a dos olhos inteligentes

Esse cara nasceu faz hoje 106 anos.
Puxa...
Tinha cinco anos Carlos, quando o outro Carlos foi assassinado... que teria pensado o minino desse bárbaro povo que do outro lado do Atlântico assassinava o futuro?
Carlos morreu quando eu minino, pegava G3 em Mafra.
Carlos morria e a república me ensinava a matar, a pegar os caras do Pacto de Varsóvia, a matar eles... depois o muro foi derrubado e nada fazia sentido.
Carlos morreu dizia... morreu, nada, poeta não morre, político sim, cafajeste também, poeta vive p'ra sempre... em palavras, imagem e som

quinta-feira, outubro 30, 2008

1746 - teu arrais prendeu a vela

A História é a soma de histórias.
Pessoas que vivem ou viveram num determinado tempo e num determinado espaço.
A História não tem por objecto «os importantes» que viveram há muitos anos.
A História (como eu a entendo) preocupa-se com o presente acontecido de seres humanos com nome (pode ser Arrais ou Oliveira) e da sua actuação no teatro da vida.
Inspirado, neste post de Rui André (é bom saber que os políticos não são todos iguais)
música recomendada: canoas do tejo (a ensaiar um fandango)

1745 - do inter que vencia ao inter que chora

O que terá mudado?
Um clube vencedor passou a ser um clube empatador.
O Chelsea de Filipe está em segundo com 22 golos marcado e 4 sofridos; o Inter de José é quarto com 13 golos marcados e 5 sofridos.
O que pensará o Prof. Dr. Carlos Magno?

quarta-feira, outubro 29, 2008

1744 - abra(çar)ntes

Nasci na freguesia de São Vicente (Abrantes).
Estudei na freguesia de Tramagal (Abrantes).
Estudei no Liceu de Abrantes (Abrantes).
Tropei no Regimento de Infantaria de Abrantes (Abrantes).
Infelizmente nunca fui aos pêssegos... ora bolas, tivesse eu ido aos pêssegos e tínhamos um belo candidato, ah, pois tínhamos...

1743 - amar o dono a deus, a maradona adeus

Quando iniciamos uma maratona importa saber se temos pernas, sede, fé, capacidade e cabeça para a conseguirmos terminar.
A maratona de deus vai começar...

terça-feira, outubro 28, 2008

1742 - técnicas de conduzir palavras

Confesso que a actual fórmula 1 (fórmula saloia) não me entusiasma muito.
Acompanho...
Gosto do incompreendido Alonso, admiro, o pouco higiénico, Massa.
Massam-me mais as más traduções.
Aprendi há muitos, muitos anos que traduzir é colocarmos acessíveis ideias que estão numa língua a leitores doutra língua, simplificando, traduzir ideias, não palavras.
Traduzir não é escrever mais que bom é escrever bem... mais bem se preferirem.

1741 - cebolas duras

Operário uruguaio contratado para substituir Cigano (poupem-se aos comentários descontextualizados).
Partiram-lhe o carro, cebola foge, açor conforta-o.

1740 - os pequenos atacam pelas costas

segunda-feira, outubro 27, 2008

1739 - o verdadeiro pai... o pai verdadeiro



Amanhã
Um novo dia nascerá.
Os culpados serão, finalmente, punidos.
O pai, o verdadeiro pai... poderá cuidá-la, passeá-la, educá-la.
A verdade chegou às pessoas, um caso que é um triunfo do povo trabalhador contra as filosofias dos intelectuais.
Bibliografia:
2. as teorias de fátimas lopes, fernandas câncios e outros/as não colheram, o povo não se deixou enganar (ver comentários)

domingo, outubro 26, 2008

1738 - o jornal dos ss


S. & S.
Salazar e Sócrates.
Dois homens.
Dois presidentes do Conselho de Ministros.
O mesmo jornal para falarem à Nação.
Bibliografia
Diário de Notícias (2008.10.25 e 2008.10.26)


1737 - de pequenoilas se torcem as papoilas

1736 - é muito mais importante

O futebol não é uma questão de vida ou morte - não morreu ninguém - é muito mais importante que isso.

1735 - pontes soltas

1734 - a escolha de patrícia

Por uma boa história sou capaz de largar tudo. A «culpa» é do Cáceres.
Partir e chegar são dois lados da mesma viagem.
Viajar, encontrar pessoas com História dentro.
Escrevê-las...

quinta-feira, outubro 23, 2008

1733 - beleza esvoaçante


Uma das minhas paixões é a observação de aves...
Dois exemplos de representação avística utilizando técnicas, completamente, diferentes.

1732 - ele tem tatuagem no braço e aparelho no dente


Por cada Cristiano Ronaldo de brincos de diamantes a correr atrás de gajas com mamas de borracha há um Liedson com aparelho nos dentes que nos reconcilia com o trabalho... com o esforço e com a vontade de vencer.
Obrigado senhor Silva Muniz... agradecido Liedson.

quarta-feira, outubro 22, 2008

1731 - não percebo nada de física quântica

(a propósito de algumas pessoas que iniciam o discurso por: eu não percebo nada de crochet, futebol, ponto cruz, mecânica automóvel [riscar o que não interessa] e depois desenvolvem teorias à volta do tema que confessam não perceber)

1730 - ele vinha sem muita conversa

1729 - a ponte do tramagal

Um bom blog... a ler e a ver com atenção, com muita atenção.

terça-feira, outubro 21, 2008

1728 - o roubo do manuscrito

Pois é...
Há gente muito ruim.
Há gente muito digna:
No dia 20 de Março de 2008 foi publicada neste blogue uma carta minha intitulada "Sobre os professores - a Miguel Sousa Tavares".
Em relação a essa carta, sinto-me no dever de fazer um esclarecimento.
Referi que: "É do conhecimento público que o Sr. Miguel Sousa Tavares considerou os professores "os inúteis mais bem pagos deste país". Quando escrevi "É do conhecimento público (…)", fundamentei-me naquilo que ouvi vários colegas dizerem, e não apenas da minha escola, e ainda naquilo que li na Internet, nomeadamente no blogue www.ramiromarques.blogspot.com, do qual imprimi um texto que tenho em minha posse.
Vivo num país democrático e julgo ter o direito de manifestar a minha opinião sobre aquilo que considero, ou não, correcto. Esse direito tenho-o.
Já o direito de tornar públicas declarações que pudessem ter sido proferidas ou escritas pelo próprio, sem que eu própria as tivesse ouvido ou lido, esse direito não o tenho.
Efectivamente, não ouvi o comentador Miguel Sousa Tavares proferir sobre os professores a frase "os inúteis mais bem pagos deste país", nem li a mesma frase escrita pelo jornalista Miguel Sousa Tavares - e que o próprio desmente terminantemente alguma vez ter dito, escrito ou sequer insinuado.
Admito que cometi dois erros. O primeiro foi ter-me fundamentado no que me transmitiram e no que li na Internet. Como pessoa de boa fé que sou, acreditei que tal fosse verdade, tanto mais que, por esses dias, alguns jornalistas escreveram sobre os professores comentários nada abonatórios, que me indignaram. O segundo foi ter dado importância ao que ouvi e li. Considero-me uma pessoa útil à sociedade no exercício da minha profissão.
Exerço-a por vocação e com paixão.
E, "Quem não deve não teme", por isso nem sequer me devia ter indignado. Mas as emoções, em determinadas circunstâncias, são difíceis de controlar." Errare humanum est."
Reconheço, pois, que me precipitei, que errei, e, como cidadã responsável de um país democrático, tenho também deveres, por isso, esclarecida que está a situação, quero retractar-me e pedir desculpa a Miguel Sousa Tavares. Assim, retiro tudo o que disse na minha primeira carta, e que o possa ter lesado na honra e bom nome.
Ana Maria Gomes
Escola Secundária de Barcelos

1727 - leccionadores de ódio

A história conta-se em poucas palavras, roubaram o portátil de Miguel Sousa Tavares perdendo o escritor um ano de trabalho.
Obviamente, estou solidário com Miguel, imagino o sofrimento de alguém que, dum momento para o outro, tem a vida toda devassada, e-mails, imagens, páginas com textos e tal...
Há cidadãos que estão felizes com o infortúnio de Miguel...
Bestas.
(um grande abraço Miguel, boa sorte, pode ser que apareça)

segunda-feira, outubro 20, 2008

1726 - rabo, rabo de peixe

Humor na blogosfera

domingo, outubro 19, 2008

1725 - caminhos de penetração

A política que, realmente, importa.
O programa (estamos a falar de uma ilha com 353 eleitores) é um mimo...

1724 - visto da terra onde ele nasceu

sábado, outubro 18, 2008

1723 - um mar de conchas

Como sabem mar é sea e conchas são chel.
Um mar de conchas, lá.
Scolari continua o excelente trabalho de Grant, que liderou os azuis de Londres até à primeira final da Champions que perderia, ingloriamente, por bolas pontapeadas da marca de penalty.
Finalmente... o Chelsea começa a ser conhecido por causa do excelente futebol que pratica e não devido ao sobretudo de um treinador de má memória.

1722 - os jugulamentos de nuremberg

Uma senhora sabe comportar-se, usa, sempre, uma digna linguagem.
Um texto que fez implodir um blog.
Foi-se embora a republicana com os seus (dela) cortesãos.
Fica Rainha... antes Rainha por 5 dias, que republicana toda a vida.
Há quem pense a blogosfera como um espaço de discussão, há quem a utilize para fazer política e prescrever a verdade.

quinta-feira, outubro 16, 2008

1721 - encontrão

Gosto de pessoas que procuram ir ao encontro e não de pessoas que procuram pretextos para esbarrar.

1720 - conização ou triangulação, enconado ou entriangulado

O futebol é uma festa.
Todos podem parecer-se com um rei da festa, uns parecem, outros aparecem.
Ao escrever este post lembrei Mourinho, parecia-se com um jogador mas ia para a bancada (aconselho ler o post e ignorar os comentários sobre o sexo dos anjos).
Queiroz também se parece com um treinador mas é, apenas, adjunto.
Rosado escreve sobre futebol em forma de cone (chama-lhe triângulo).
(...) distribuição das pedras no meio-campo, sector onde Meireles reocupou a posição 6, atrás de Moutinho (sobre a direita) e Manuel Fernandes (sobre a esquerda).
Este triângulo, com dois vértices ofensivos, significava não só que Moutinho estava logo à partida desenquadrado das funções que supostamente melhor sabe cumprir (as de n.º 10) mas que também o corredor central do ataque era território "proibido" para Danny.
A minha teoria do futebol enconado (entriangulado se preferirem) começa a fazer escola...

1719 - o país vasco

No dia mundial da alimentação venha de lá uma pinga e um bacalhauzito para acompanhar.

quarta-feira, outubro 15, 2008

1718 - o dr. gilberto madaíl foi fazer có-có

Escutado na TSF (cito de cor):
- O Dr. Gilberto Madaíl foi à casa de banho e depois assistiu ao final do jogo nos monitores.
Esta dos monitores, lembrou-me xutos, contentores e uma vida malvada onde os motores rugem baixinho...
actualizado em 2008.10.16 pelas 07H15

1717 - não li le clézio mas li toni

Le Clézio, o nobel prize de 2008, muitos não leram.
Muitos não sabem que existe uma literatura americana.
Há uma gaja preta e americana que venceu um nobel prize.
Muitos não sabem, muitos não leram...
Outros, sim.

1716 - o burro sou eu

Vergonha.
A selecção da república, arrasta-se em campo, o apitador expulsa um jogador adversário, talvez assim...
A expulsão foi justa...
Foi?
Este gajo, continua em campo... nos primeiros minutos de jogo começou a distribuir bordoada... a ver vamos.
Espero que no final do jogo um dos seleccionadores seja sério, peça a demissão e devolva os vencimentos que, injustificadamente, recebeu.
Tal como Pessoa sinto-me desassossegado pelo futebol enconado.
actualizado em 2008.10.15 pelas 22H45
Eh, eh, eh...

1715 - até a pedreira

Albania

terça-feira, outubro 14, 2008

1714 - importa questionar, saber questionar

Vamos efectuar um exercício teórico, socorrer-me-ei de questões questionadas (é assim que os jornalistas falam) por Anabela Mota Ribeiro a Glicínia Quartin [DNA, 2005.01.21, pp. 10-17] e respondo eu, eu, pessoalmente, melhor, comento a partir das perguntas/respostas.
1. Quem era o seu interlocutor em casa?
Ó pá, ó Anabela, a senhora dona Glicínia respondeu que o interlocutor era a mãe, 'tás a ver, desconcorda em género, deverias ter perguntado: Com quem conversava, com quem partilhava segredos?
2. Casou aos 21 anos, quando ainda estudava. [sic]
- Devo ter sido uma das primeiras alunas da Faculdade casada.
3. Como é que foi? Apaixonou-se?
Típica pergunta de gaja, das duas uma ou ela se apaixonou (a resposta foi: sim) ou não se apaixonou, foi, apenas, físico, o gajo era rico com' o caraças, era ministro da cultura, obviamente, a resposta seria sempre a mesma: sim.
4. Posso perguntar se casou para conquistar uma liberdade sexual?
Por pudor não publico a resposta... que raio de jornalismo é este?
5. Tinha o complexo de não ser bonita. [sic]
Espera aí, ó Anabela, tu tens a oportunidade de entrevistar uma senhora como a senhora dona Glicínia e perguntas-lhe se ela era complexada por não ser bonita?... bem sei na altura eras nova, tinhas trabalho, mas bolas... ministros da cultura há poucos e mulheres, muitas.
Glicínia respondeu: Sei que não era bonita, mas não tinha complexos de ser tão feia que não pudesse fazer coisas.
6. Pode-se ensinar a ser feliz? [finalmente, uma excelente questão]
- Eu não ensino a ser feliz. Eu gostava de educar as pessoas de modo a que elas pudessem abrir os olhos à sua volta e crescer. Acho mais importante do que saber muita coisa. Pelo saber também chega o crescimento, acho que isso é que é importante, e muitas vezes não se faz.

1713 - a sério, muito a sério

Uma manhã, como outras, jornais, café e meia-torrada (julgava eu).
- Então, 'tás bom? Anda, pago-te um café...
- 'Tou, 'tou bem, deixa 'tar, eu pago... queres café, também?
- Não, vou beber uma mini, eu pago, eu é que convidei, posso-te pagar, não posso?
(podia responder várias coisas, optei por não responder nada, percebi bem o alcance da coisa, a superioridade e a inferioridade, os que ficam e os que partem, os que vivem e os que sobrevivem)
- Então, desenrascaste-te bem em Lisboa? O teu puto, sempre, entrou?
- (...)
- Ainda bem, ainda bem e o trabalho?
- Sabes que eu trabalhei em muitos sítios, em (...), na (...) depois a tropa, quando saí da tropa fiquei (...), sei lá, trabalhei, também, em (...) e no (...) é pá este trabalho agora é uma responsabilidade diferente, lembras-te do puto que morreu?
(lembro, lembro-o, era um miúdo fantástico, com um olhar determinado e inteligente)
- Mais ou menos, tenho uma ideia...
- Sabes que foi tudo abafado, dados alterados, aquilo que consta nos documentos não foi o que aconteceu...
Acabei o café, (...) acabou a mini, despedimo-nos sob um céu cinzento escuro, cor de fato de executivo sem escrúpulos.
Chovia.
Chovia como lágrimas choradas pelo céu, a terra cheirava a molhada.
A minha mão esquerda segurava jornais, com a direita limpei a água doce e salgada do rosto, peguei na pena e escrevi.

domingo, outubro 12, 2008

1712 - futebol, duplamente, enconado

Ah e tal, ó Pedro 'tás sempre a falar sobre futebol mas não elucidas a malta sobre as nuances técnico-tácticas que se desenvolvem num campo de futebol.
Tenho a certeza que se ouvisse vozes, ouviria algo deste género.
Vamos lá, então... o futebol explicado a donas de casa desesperadas e a gajos que bebem cerveja e arrotam.
O futebol (soccer) é o desporto mais simples do mundo.
Um rectângulo com 23 animais (onze por cada equipa e um que valida ou penaliza a movimentação das duas manadas... fora do campo, junto ao tal rectângulo movimentam-se dois ajudantes do validador/penalizador com uma bandeirita ridícula na mão).
O rectângulo está dividido ao meio, com uma bola grande e uma bola pequena (é tipo deficiente, o rectângulo) na bola pequena, coloca-se a bola do jogo, perto dela dois dos animais, os restantes têm de estar fora do círculo, dá-se um pontapé para a frente e inicia-se a jogatana).
Já me estou a adiantar.
Vamos às características físicas:
- um rectângulo
- dividido em dois
- a linha divisória central tem duas bolas
- nos extremos do rectângulo situam-se balizas (uma cena com três paus, dois horizontais e um vertical).
- as balizas são enquadradas, melhor enrectânguladas, por duas áreas, a grande e a pequena.
Pronto.
Objectivo do jogo: uma das manadas introduzir o maior número de vezes a bola na baliza da outra manada.
Percebesteis?
Bolas...
Fiz-me entender?
(ensinaram-me nos cursos de atendimento que devemos dizer: fiz-me entender? e não: percebeu? se disser: fiz-me entender? e a pessoa disser: não... o estúpido sou eu, se tiver o descaramento de perguntar: percebeu? e a pessoa disser: não... estou a promover um achincalhamento dos pobres e desprotegidos clientes... uma espécie de benaventismo [o ensino pela descoberta] aplicado às empresas).
Pronto, ok, perceberam... ora bolas, fiz-me entender até agora?
Sim?
(não ouvi nada)
Sim?
Agora está bem...
Bem.
o futebol português não é, geneticamente, um futebol de resultados, é um futebol de berloques citado em Público, P2,2008.10.12... p. 3
A frase citada é do meu amigo Duarte (um abraço, grandão).
Repararam?
Recorri a aperitivos, preliminares, para ilustrar a coisa...
A coisa não necessita de ser preliminada, nem aperitividada, muito menos ilustrada.
A coisa não é um desenho.
A coisa, é a coisa, conquistam-se três pontos e venha a seguinte (a coisa seguinte).
In brasileiro style possuía-se a coisa.
In moçambicano style, disputam-se dois jogos contra monarquias (Dinamarca e Suécia) em seis pontos possíveis, republicana-se 1 (um) [em seis pontos a república perdeu três em casa e dois fora] a república é que é bom... oh yé!
Entre Queiroz e Scolari...
Veio Madaíl e escolheu...
Pronto. Outra vez pronto.
Queiroz é, tactitamente, incompetente.
Detenhamo-nos na disposição táctica da manada de Queiroz:
1.º animal ---- guarda-redes----
Quim
Quim?
2.º, 3.º, 4.º, 5.º animais ---- defesas ----
Bosingwa, Bruno Alves, Pepe, Paulo Ferreira
6.º, 7.º, 8.º animais ---- centro-campistas ----
Meira, Raul Meireles, João Moutinho
9.º, 10.º, 11.º animais ---- avançados ----
Nani, Cristiano Ronaldo e Hugo Almeida.
Ora bem.
Aparentemente um 4x3x3 é um sistema ofensivo, aparentemente, porque no futebol enconado (em forma de cone) de Queiroz, Meira, Raul Meireles e Moutinho, o cone defensivo atrapalha-se com a bola e atrapalham-se uns aos outros o cone ofensivo idem.
Futebol enconado e atrapalhado, amanhã, talvez, a(l)banem...

1711 - é só rir

Quando se juntam duas das maiores cabeças da cultura portuguesa... momentos de boa disposição, com a profundidade das perguntas, com a vacuidade das respostas e/ou vice-versa.

1710 - piu-piu sem jogar bola

Ontem, mais um capítulo da Crónica de um adeus anunciado, porque é que tem de ser assim?
Porque sim...

sábado, outubro 11, 2008

1709 - quem diz é quem é, lá, lá, lá

Na essência não existem coisas boas, nem coisas más, tudo deverá ser, escrupulosamente, contextualizado, como neste diálogo:
Diz o leite para o vinho:
- Tu és mau! Embebedas e matas de cirrose! Eu dou saúde !
Responde o vinho: - Sim, mas a minha mãe é uma uva e a tua é uma VACA!

sexta-feira, outubro 10, 2008

1708 - parabéns

quinta-feira, outubro 09, 2008

1707 - sociedade filarmónica ou será recriativa

fon, fon, fon... tudo isto, existe, é fado

1706 - mãe coragem


Às vezes, quase sempre, a História escreve-se no feminino.
Às vezes, quase sempre, não devemos etiquetar.
Às vezes, quase sempre, as viúvas não são estereótipos.
Muitas mulheres sofreram muito... outras, supostamente, inteligentes, etiquetam-nas

1705 - o dia em que o touro morreu

quarta-feira, outubro 08, 2008

1704 - a viagem do alifante

Anos oitenta, século vinte, milénio passado.
As crianças primavam (andavam na primária), depois telescolavam (pp. 10, 11, 12), depois a maioria ia trabalhar... para o campo, para as fábricas, poucos continuavam a estudar.
Viajar, da aldeia à cidade, da terra ao mundo.
Um mundo de aldeia.
Ranchos folclóricos, grupos de baile, barracas de tiro ao alvo, fitas para dançar, cigarros fumados às escondidas, meninos que fomos com qualidades (provavelmente poucas) e defeitos (provavelmente muitos).
Meninos sorridentes que gargalhávamos com os anúncios, leilões e jogo do quino, tipo:
- Encontrou-se um porta-chaves com a letra A, A de alifante...
- Temos aqui um garrafa de licor para leiloar, oferecida pela dona Antónia, quanto é que vale a pu** (a garrafa, obviamente)
- São dois patinhos, vinte e dois, para cima e para baixo, sessenta e nove, atenção, quinaram, o cartão confere, quem quiser conferir, cunfra...

1703 - liberdade de expressão... a vontade de mudar

COMUNICADO
Assembleia Municipal de Constância:
- Falta de respeito pelos munícipes e pela oposição
A sessão ordinária da Assembleia Municipal de Constância realizada a 29 de Setembro ficou marcada, mais uma vez, por falhas graves de exercício do poder local. O que em nada é consentâneo com a democracia, mesmo que introduzida na designação da Coligação Democrática Unitária que gere os destinos do município.
A Bancada do PS vem alertar para uma prática continuada de:
A. Introdução de novos pontos (de interesse relevante e sem carácter de urgência) não previstos na ordem de trabalhos e sem qualquer divulgação à população e comunicação social;
B. Inviabilização de discussão de moções e propostas apresentadas pela bancada do PS, sem nenhuma justificação da Mesa e da Bancada da maioria CDU;
C. Inviabilização de discussão de “outros assuntos de interesse”, tal como previsto na ordem de trabalhos, pois todo esse tempo foi dedicado aos novos pontos propostos pelo Presidente de Câmara e aceites pela Presidente da Assembleia;
D. Inviabilização da continuação da sessão em outra data;
E. Atrasos na entrega e apreciação de actas, desta vez actas de três sessões, uma delas de há mais de seis meses.
Todas estas questões atestam bem da necessidade de se ter agendado a “discussão do relatório de avaliação do grau de observância e do respeito pelos direitos e garantias constantes do Estatuto do Direito de Oposição no ano de 2007”, o qual a Câmara Municipal elaborara e fizera aprovar após o P.S., em sede de Assembleia Municipal, ter alertado para a sua não existência e para o atropelo de vários artigos desse Estatuto. E, realmente, a Bancada da CDU deu provas do que nele se relata, pois não permitiu sequer que a moção de rejeição desse relatório fosse colocada à discussão, não chegando por isso à fase de votação.
Na senda do exercício exacerbado e autoritário do poder que detém há mais de duas décadas, a maioria CDU ainda voltou a votar contra a discussão de uma moção e de uma proposta do P.S., essas no âmbito da diminuição da participação variável no IRS no concelho de Constância: o P.S. defende que a Câmara Municipal deveria abdicar de parte bem mais significativa do contributo financeiro dos munícipes. Estranhamente, permitiu à bancada do PSD apresentar e discutir as propostas que bem entendeu durante toda a sessão…
Desta vez, a CDU não propôs que a Assembleia terminasse mesmo às 00:30h, prática que tem imposto durante todo o mandato e que tem feito discutir alguns assuntos à pressa e deixado outros por abordar. Nesta sessão, para fazer valer a intenção de ver aprovar pela sua maioria assuntos que nem sequer estavam agendados, não teve qualquer problema em prolongar os trabalhos até depois da 1:00h. Qualquer dos novos pontos introduzidos é fonte de debate e de indagação: “Apreciação, discussão e votação de propostas de
1 - Fixação em 4% de percentagem variável de IRS,
2 - Alteração dos Estatutos da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo,
3 - Protocolo entre a CMC e a Junta de Freguesia de Santa Margarida sobre Albufeira de Santa Margarida”.
Nem mesmo a falta de tempo para a discussão de “Outros assuntos de interesse” apresentados por qualquer das bancadas serviu para que os trabalhos pudessem continuar noutra ocasião, pois satisfeita a vontade do Sr. Presidente de Câmara de nada mais servirá o funcionamento de uma Assembleia Municipal… Assim se aliena qualquer respeito pelos intervenientes e pela dignidade das Autarquias Locais.
Não obstante todas as vicissitudes e contrariedades, a bancada do P.S. acredita na liberdade de expressão e nos direitos da oposição e, por isso mesmo, apela à comunicação social que divulgue o teor das suas duas moções e proposta que anexa a este comunicado.
Constância, 04 de Outubro de 2008
A Bancada do PS
1. MOÇÃO
Diminuição do IRS no concelho de Constância
A Câmara Municipal de Constância teve oportunidade, em Dezembro de 2007, de accionar o abaixamento da participação variável no IRS dos sujeitos passivos com domicílio fiscal no concelho de Constância, até ao máximo de 5%, o que se poderia entender como uma medida social de incentivo à fixação de população e ao investimento no concelho.
Na ocasião, sem sequer discutiu o assunto e apenas foi apresentado (na reunião do executivo municipal realizada a 26 de Dezembro) como uma informação dos serviços e na forma de expediente, tratamento dado normalmente à correspondência trocada.
Sabe-se que, nessa oportunidade, pelo menos três municípios do nosso distrito deliberaram favoravelmente, destacando-se o concelho do Cartaxo com uma redução de 2,5% do IRS a favor dos seus munícipes e até com outras medidas de âmbito fiscal no combate ao avanço da desertificação em freguesias.
Não se compreende que, ao nem sequer baixar e adoptar novas taxas de aplicação do IMI (que se agravou substancialmente nos últimos anos e que foi já reconsiderado por muitos municípios da nossa região, mesmo aqueles em difícil situação financeira), a melhor proposta que a CDU tenha para oferecer aos contribuintes do concelho seja, e à segunda oportunidade, baixar apenas 1% de um valor que poderia chegar aos 5%.
Desse modo, a CDU privilegia os cofres do município para distribuir pelas entidades e medidas que bem entender em vez de beneficiar directamente a população e incentivar o investimento e iniciativa de cada um. Sabe-se que, por exemplo, o Cartaxo chegou à redução de 3,25% e outros municípios mais perto de Constância propõem reduzir em apenas 1% mas adoptam outras medidas compensatórias dos contribuintes (quer na derrama, quer no IMI), ficando a população de Constância penalizada em termos comparativos.
A Bancada do Partido Socialista entende que essa visão, porventura precipitada face ao comunicado do Secretariado do PS de Constância distribuído neste Verão, deve ser reconsiderada de modo a beneficiar mais a população residente.
Constância, 29 de Setembro de 2008
A Bancada do P.S.
2. PROPOSTA
Diminuição do IRS no concelho de Constância
Em virtude do exposto na moção da bancada do P.S. sobre este assunto;
Havendo a possibilidade de o mesmo poder ser ainda discutido na sessão da Assembleia Municipal a realizar em Dezembro;
A Bancada do Partido Socialista propõe que, desta primeira vez, se verifique um abaixamento de 3% da participação variável no IRS dos sujeitos passivos com domicílio fiscal no concelho de Constância e não apenas o 1% que a Câmara Municipal propõe.
Constância, 29 de Setembro de 2008
A Bancada do Partido Socialista
MOÇÃO DE REJEIÇÃO
Do relatório de avaliação do grau de observância e do respeito pelos direitos e garantias constantes do Estatuto do Direito de Oposição
(Ano de 2007)
Diz o relatório em apreço, elaborado pela Câmara Municipal, que em 2007 foram prestadas informações e feitos convites sobre várias iniciativas promovidas pelo Município ou em que ele esteve envolvido a fim de os representantes dos diversos partidos nos órgãos das autarquias nelas poderem participar.
Na verdade, isso não aconteceu em muitas ocasiões!
Dão-se como exemplos a visita da Sra Ministra da Educação ao Centro de Ciência Viva e ao Jardim-Horto de Camões a 21 de Março, a realização de uma reunião com a população da Pereira no âmbito de um protocolo entre a Câmara Municipal e a Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa (FAUTL), Actividades na Casa Memória de Camões, Jardim-Horto e Centro de Ciência Viva, designadamente programas de televisão em directo de Constância, algumas inaugurações e comemorações e outro tipo de iniciativas. Entende-se que tal situação denota falta de critérios ou mesmo uma gestão tendenciosa de apoio e de divulgação das iniciativas.
Ao contrário do que diz o relatório, nem sempre os direitos de participação (art 6º) e de informação (art 4º) foram garantidos pois sucederam-se várias questões que não obtiveram resposta ou esta foi sujeita a grandes atrasos. Não foram entregues ou não foi dada resposta:
1. Ao pedido de informação sobre existência do relatório aqui visado, questão só desbloqueada após convocação de uma Assembleia extraordinária com esse ponto na ordem de trabalhos;
2. Os Estatutos da Associação Casa Memória Camões e informações sobre as datas de eleições e composição de órgãos em dois mandatos;
3. O contrato de prestação de serviços com o Prof. Máximo Ferreira (mesmo com a possibilidade de se ocultarem alguns dados pessoais);
4. Informação sobre se foram corrigidas questões apontadas e aceites em relação ao Regulamento de taxas, licenças, tarifas e prestação de serviços e posturas municipais na Assembleia Municipal de Dezembro de 2006;
5. Lista das entidades em que a Câmara Municipal está representada, quer nos órgãos executivos quer em outros; Envio das respectivas actas de reuniões referentes ao presente mandato autárquico;
6. Actas da Associação Comercial Centro Ar Livre (de 2007) e escritura/documento para admissão da Câmara Municipal de Constância;
7. Actas de reuniões dos Conselhos Municipais em que a Câmara tem assento;
8. Conhecimento à oposição e em tempo oportuno da proposta significativa de alteração da barragem em Almourol/Fatacinha, que surgiu no período de consulta pública dos projectos, até 13 de Novembro de 2007;
9. Informação sobre a relação entre a Junta de Freguesia de Santa Margarida da Coutada e a FAUTL, que lhe tenha permitido convocar uma reunião com a população da Pereira e outros esclarecimentos sobre o processo; Houve um enorme atraso na entrega de protocolo entre a Câmara e FAUTL (Pedido por escrito a 10 de Março de 2007, enviado a 20 de Fevereiro de 2008 apenas um modelo de protocolo e ainda por assinar, com data de Outubro de 2006 e com conclusão prevista para 31 de Agosto de 2007), entre vários outros com mais de oito meses de espera, designadamente questões relativas à segurança nas escolas.
Por outro lado, a iniciativa da Câmara Municipal em responder oralmente nas sessões da Assembleia a questões apresentadas por escrito e fora delas, não foi (nem é) adequada nem suficiente, com a agravante de tal apenas ficar registado em actas que são aprovadas passados largos meses.
Segundo a Vice-Presidente da Câmara Municipal, deveriam evitar-se questões por escrito, apenas deveriam ser colocadas as pertinentes, ou seja, aquelas que no seu entender sejam de facto importantes para exercer as competências da A. M. Mas, nessa versão parcial e subjectiva, acabou por se escusar a fornecer indicações sobre um contrato de prestação de serviços por entender ter partes confidenciais ou de foro pessoal, quando afinal, por exemplo, o valor envolvido acabou por surgir mais tarde no relatório de gestão.
Acresce a tudo isto que o problema também existe na Assembleia Municipal. Nas suas sessões:
1. Foram acrescentados pontos à ordem de trabalhos (em duas sessões de 2007) sem qualquer documento de pré-aviso;
Foram aprovadas algumas actas quatro meses depois da sessão a que respeitavam;
Apresentaram-se actas sem a devida documentação em anexo;
4. Foi proibida a intervenção de um membro da Assembleia (fora do desempenho dessas funções) num período aberto ao público;
5. Foram interrompidos pontos da ordem de trabalhos sem accionamento da possibilidade de continuar a sessão em outras reuniões, ficando questões por discutir;
6. Procedeu-se à alteração do tempo de intervenção por bancada por causa de extensas intervenções da Câmara Municipal e da introdução de novos assuntos a pedido do mesmo órgão.
A bancada do PS chama ainda a atenção para a necessidade de cumprimento do direito de consulta prévia (artº 5º), por exemplo no que respeita ao orçamento e Relatórios de Gestão, às Grandes Opções do Plano, ao Plano Plurianual de Investimentos e Actividades mais Relevantes, à Revisão do Plano Director Municipal e ao Plano Estratégico do Concelho de Constância 2015.
Por tudo o que se aponta e sentindo-se lesada, a Bancada do Partido Socialista não pode aceitar que o relatório ainda conclua que a “Câmara Municipal cumpriu o estabelecido no Estatuto do Direito da Oposição e assumiu um papel activo na efectivação desse estatuto” e rejeita todo o seu conteúdo de forma inequívoca
A Bancada do Partido Socialista

1702 - os professores são quem mais ordena

Mesmo que não seja Professor... reencaminhe
Reencaminhem para atingir os 140000 mil professores e educadores
A DERROTA DAS MAIORIAS
O governo governa com a maioria e não com as manifestações da Rua, diz o

Sr. Primeiro Ministro. É verdade, se o PS não tivesse a maioria, o Governo
nunca teria tido a coragem de insultar os professores, nem de aprovar o novo
estatuto da carreira docente, que é um insulto a quem presta tão nobre serviço à
Nação.
Já foi votada no Parlamento, por três vezes, a suspensão do novo estatutoda carreira docente e das três o PS votou contra suspensão. As maiorias só

favorecem os poderosos, as classes trabalhadoras que produzem riqueza saem sempre aperder.É fácil para quem tem vencimentos chorudos vir à televisão pedir para que apertemos o cinto.
Colegas, chegou o momento de ajustar contas com o PS. Se este partido

tivesse menos de 1% do votos expressos nas últimas eleições, não teria a maioria
e nunca teria tido a coragem de promover esta enorme afronta aos professores.Somos 150.000, o equivalente a 3% dos votos nacionais expressos. Se naspróximas eleições, que são dentro de um ano, todos os professores votarem
em massa em todos os partidos excepto no PS, este partido nunca mais
volta a ter a maioria e será a oportunidade soberana de devolver ao Sr.Sócrates as amêndoas amargas que ofereceu aos professores.
Colegas, quem foi capaz de ir do Minho, Trás-os-Montes, Algarve, Madeira

e Açores a Lisboa, também consegue nas próximas legislativas dirigir-se à
sua assembleia de voto e votar a derrota do PS.Em Portugal há partidos para todos os gostos, quer à direita quer à esquerda do PS, é só escolher,maiorias
nunca mais.Os professores, para além de terem a capacidade de retirarem a maioria ao PS, têm a capacidade de o derrotar, basta para isso que os professores convençam metade dos maridos ou mulheres, metade dos seus filhos maiores, metade dos seus pais e um vizinho a não votar PS,
e já são mais de
500.000,
foram os votos que o PS teve a mais que a oposição.
Os professores estão pela primeira vez unidos, esta união é para continuar, e têm uma ferramenta poderosa ao seu alcance, a Internet, que nos põe em contacto permanente uns com os outros.
Senão vejamos, esta mensagem vai ser enviada a cinco colegas.Se cada um dos colegas enviar a mais cinco dá 25. Se estes enviarem a mais cinco dá 125.
Se estes enviarem a mais cinco dá 625.Se estes enviarem a mais cinco dá 3.125.
Se estes enviarem a mais cinco dá 15.625.Se estes enviarem a mais cinco dá 78.125.Se este enviarem a mais cinco dá 390.625, isto é, o dobro dos

professores que há em Portugal.
À sétima vez que esta mensagem for reenviada todos os colegas ficarão a

saber a informação que ela contém.
Começou oficialmente a campanha eleitoral dos professores contra o PS:
'VOTA À DIREITA OU À ESQUERDA! NÃO VOTES PS!

1701 - os dós e os laços

Há pessoas que me fazem sentir dó (pena).
Há pessoas que me dão dó (dão-me música).
Há pessoas a quem dou música...
Há pessoas que me abrem janelas de sonho, provavelmente, o melhor blog que visitei
nota final: comparar este post com este:
não sou, de todo, uma estudiosa da monarquia e da primeira república ou do regicídio, pelo que o meu post surge em reacção à discussão sobre aquilino, e não como tomada de posição sobre a morte do rei. além disso sei, como toda a gente sabe, que vieram ditaduras a seguir, que as mulheres naõ votavam nem antes nem bastante tempo depois, e mesmo durante muito tempo só mediante certos critérios. e que portanto o advento da república naõ constitui uma implantação da democracia como a conhecemos. não creio que a discussão seja essa e não era de todo meu objectivo colocá-la nesse plano: dizer que a monarquia pode ser vista como uma tirania (na verdade, diria mesmo que a tirania está na essência da ideia monárquica) não significa que não possa haver (e não haja) tiranias não monárquicas muito mais tiranas que a que vigorava aquando do regicídio.
Qualquer cidadão/cidadã/cidadona com acesso ao magalhães saberá que a senhora dona Câncio incorre em muitas incorreçães.
Deixá-la.
Será feliz... enquanto envia mensagens.

1700 - esperança

Às vezes esperança é tudo o que nos resta, esperança numa vida diferente, esperança num mundo melhor.

terça-feira, outubro 07, 2008

1699 - a explicação dos escritos

Um post, normalmente, remete para realidades que importa contextualizar.
No post linkado, o título remete-nos para um título de Machado: Requiem para D. Quixote.
A imagem remete-nos para a importância da mão, do braço na escrita, na criação... remete-nos para a história singular de um homem que se encantou, precisamente, no dia em que postei sobre histórias intermináveis.

1698 - não vás ao mar, benfica

Não vás ao Mar, Benfica,
Está o Mar ruim, Benfica,
É falso o Mar, Benfica,
Penas sem fim, Benfica
Ai, Benfica, Benfica que mau clube que és
Ai, Benfica, Benfica
Nem sabes onde botas os pés.
Adeus Olegário que eu vou p'ro Mar
Pescar sardinha
P'ra seres rainha
Ela é fresquinha
Da cor da prata
Não tenhas medo
Que o Mar não mata
Não vás ao Mar, Benfica
Podes morrer, Benfica
Fico sem par, Benfica
Que vou fazer, Benfica
Ai Benfica, Benfica
Que desgraçado que és
Ai Benfica, Benfica
Que nem sabes jogar
Com os pés

segunda-feira, outubro 06, 2008

1697 - a ver vamos

O candidato apoiado por este blog está lá...

domingo, outubro 05, 2008

1696 - 1143.10.05

sábado, outubro 04, 2008

1695 - os grandes capitães fazem citaçães ou melhor os grandes capitões fazem citações

Num blogue, uma voz anónima: "Eu: Ah e tal, morreu o Dinis Machado... A minha mãe: A sério??? Eu, muito espantada: Conheces? A minha mãe: Claro! Ele pagava-te bolos na padaria quando eras pequena." De Dinis Machado, homem de um livro, o poeta Eugénio de Andrade disse do livro do homem: "Este é um livro de alegria." Em 1977 Portugal já estava solto de muita coisa quando um livro lhe libertou a palavra: O Que Diz Molero. Já outros (Nuno Bragança, Ruben A., Luiz Pacheco...) tinham minado a literatura engravatada mas foi Dinis Machado que veio por ali abaixo com o Gil Penteadinho e o Tonecas Arena e deu cabo dos camones. O Que Diz Molero feito, Dinis Machado, qual Salgueiro Maia, recolheu-se - os grandes capitães não ficam para os louros, fazem pelo gozo. A bloguista diz que, à pala da morte, "vou aproveitar para reler o livro". Faz sempre bem. Mas - vejam as frases iniciais que cito - ela já é uma filha de Dinis Machado, já escreve em liberdade.
Rita não é anónima.
Rita chama-se Rita.

1694 - a senhora, a mulher e a senhora dona

Imaginem que a partir d' hoje este vosso humilde blogger exigia ser tratado por: Senhor Dom Pedro.
senhoras e mulheres... e senhoras donas.

sexta-feira, outubro 03, 2008

1693 - alicerces sólidos, das ruínas à solidariedade

1692 - in salazar's ass

Bibliografia:
cu...
Porque escrevi este post?
Porque nos mostra, inequivocamente, que os clubes que apoiamos influenciam as pessoas que somos.
Não há machado que corte a raiz ao pensamento.

1691 - servir, quando as armas descansam em pedras roladas

Quando as palavras nos servem.
Quando nos servimos delas.
Oficial, não.
Sargento e cavalheiro...

1690 - sem sujeira, sem bobeira... vota gabeira

Quem é Gabeira?
Podemos visitar, ainda, o site, o blog ou escutar o jingle... sou rio, sorrio.
via Claudio Versiani (um abraço Claudio)

1689 - requiem para dom dinis, dinis machado

quinta-feira, outubro 02, 2008

1688 - empate, derrota e soninho tranquilo

Sono tranquilo?
Dorme bem...
Não tarda nada estás outra vez a descansarr, a comerr carrapau e sarrdinha.
não é o fim, nem o princípio do fim, é o fim do princípio